O maior fracasso da Amazon e como ela transformou o fracasso em um grande sucesso

O maior fracasso da Amazon e como ela transformou o fracasso em um grande sucesso

HE
Hugo Eiji
Compartilhar:

Hoje eu vou contar pra vocês uma história não muito conhecida. Geralmente as grandes empresas escondem seus fracassos para passar aquela imagem de "eu sou o máximo"

Mas esse fantástico empreendedor (Jeff Bezos) teve a coragem de expor seu fracasso. E sua incrível mentalidade permitiu transformar uma enorme derrota (a maior derrota até então vista pela sua empresa) em um GRANDE SUCESSO.

Fica comigo até o final (seja lendo ou vendo o vídeo) para ouvir uma das mais incríveis histórias da Amazon. Isso mesmo. Vamos contar como a Amazon e o Jeff Bezos, CEO da Amazon, foram catalisadores da transformação e aprendizado com os erros.

Como a Amazon transformou sua maior falha em um grande sucesso.

mao segurando um fire phone, smartphone da Amazon

Em julho de 2014, a Amazon lançou o seu smartphone, o Fire Phone. O Fire Phone nasceu para ser uma triunfante entrada da Amazon no mercado de smartphones. No final do dia, o aparelho era considerado como um top de linha , mas tinha um hardware antigo e uma performance muito baixa. Geralmente isso é associado com um péssimo projeto de engenharia.

Algumas pessoas diziam que parecia que tinham colado as peças dele de qualquer jeito. Além disso, ele custava a bagatela de "649 dólares".

O produto foi tão mal aceito que em setembro de 2015, a sua venda foi interrompida. A Amazon amargurou um prejuízo de 170 milhões de dólares neste fracasso. Na cotação atual do dólar, seria algo perto de 1 Bilhão de reais

Geralmente, um CEO de uma empresa, após tamanho fracasso, começaria a apontar dedos raivosamente, tentando encontrar culpados. Mas isso seria um CEO comum. A Amazon era liderada pelo Jeff Bezos

"Você não pode, nem por um minuto, se sentir mal pelo Fire Phone. Me prometa que você não perderá o sono por sequer 1 minuto"

Foi isso que o Bezos disse para o Ian Freed, um dos principais líderes do projeto Amazon Firephone

Ao invés de ficar com raiva e apontar dedos, Jeff Bezos, o CEO da Amazon, simplesmente usou sua genialidade e deixou claro que conforme uma empresa cresce, o tamanho de suas falhas também deve crescer.

Ele disse:

"Em primeiro lugar, falhar tem que fazer parte do crescimento

Conforme uma empresa cresce, tudo precisa escalar, incluindo o tamanho de seus experimentos que fracassam. Se o tamanho de suas falhas não está aumentando, você não vai estar inventando e inovando em um ritmo e tamanho que possa de fato mover a agulha.

Vale a pena tomar riscos, pois se você o fizer, basta que um deles se transforme em um grande sucesso e seu retorno compensará as múltiplas perdas

Vamos trabalhar duro para transformar os riscos em boas apostas, mas nem todas boas apostas vão se pagar. Esse tipo de risco em grande escala é parte do serviço que a Amazon, como uma grande empresa, pode prover para seus clientes e para a sociedade.

"Mover a agulha", é um jargão da área de negócios que significa produzir algo de real impacto. Talvez venha da ideia se acelerar forte um carro e mover a agulha do velocímetro

E isso nos leva a um dos segredos do Bezos. Você tem que estar disposto a absorver, ser curioso e experimentar.

O time que desenvolveu o Fire Phone, liderado por Ian Freed, cresceu para incluir 1000 colaboradores. Um time enorme. Quando Freed apresentou para o Bezos algumas funções do seu software, Bezos se apaixonou pelo software ou código de reconhecimento de voz. Naquela época, esse software conseguia responder alguns comandos ao acessar informações na nuvem

Bezos perguntou: Eu posso pedir pra esse software tocar qualquer música? Que tal "Toque hotel california". E a música começou a tocar. "Isso é FANTÁSTICO", ele disse.

Um pouco depois, o antigo time do Fire Phone começou a trabalhar em uma tecnologia que responderia a comandos de voz. O software original do Fire Phone foi licenciado de outra empresa, mas o Bezos queria ter o seu próprio software de voz.

aparelho echo device da amazon

4 meses depois Freed soltou no mercado o Echo. Naquela época, o mercado reagiu de forma completamente diferente do Fire Phone

O techcrunch reportou

"A amazon agora tem um produto que não possui concorrentes em nenhuma companhia de tecnologia. Um alto falante chamado Echo que está sempre ligado, ouvindo comandos e atuando como assistente virtual que pode responder com informações ou fazendo tarefas."

O tempo investido no fiasco Amazon Fire Phone ajudou a acelerar o sucesso do Echo. Com o fracasso, a Amazon utilizou os aprendizados (e os desenvolvedores) para desenvolver o Echo e a Alexa. Além disso, os algoritmos de machine learning na nuvem, que foram gerados no projeto, trouxeram novas funcionalidades e serviços para outras áreas da Amazon

Em janeiro de 2020, a Amazon já tinha centenas de milhões de dispositivos com a Alexa. Esse sucesso representa o retorno da mentalidade da Amazon em arriscar e experimentar.

O que eu tiro dessa história é que existem poucas pessoas com uma visão tão incrível da realidade. Bezos também é conhecido por não se importar com uma empresa que por muito tempo reinveste todo o lucro no próprio negócio, independente de possíveis reclamações de acionistas. Ele de fato vive e acredita na obsessão pelo cliente.

Compartilhe essa história com todos seus amigos para que mais pessoas conheçam essa incrível história da Amazon.

E para seguir bem-informado sobre tecnologia e como se desenvolver na sua carreira, continue acompanhando o blog da Techdegree.