Teste de SEO: Como o Google reconhece Canonical Tag implementada via JS

Teste de SEO: Como o Google reconhece Canonical Tag implementada via JS

LC
Leo Cruz
Compartilhar:

Recentemente atuei em um projeto onde limitações técnicas impediam a alteração da canonical tag para o novo endereço do site que passou a utilizar o protocolo HTTPs. Como é possível imaginar, ao apontar a canonical para uma URL com redirecionamento status 301, os robôs caiam em um looping e acabavam tendo problemas para indexar essas URLs.

Um dos responsáveis pelo projeto apresentou como solução possível a alteração da Canonical Tag utilizando JS. A primeira coisa que me veio à mente é que o não Google entenderia essa correção, mas como em SEO a resposta padrão para qualquer perguntar é “depende” o melhor caminho seria testar o comportamento dessa implementação.

Como o Google interpretaria esse teste? 

Como não é ético expor sites onde faço consultoria, recorri ao Deveserisso, meu bom e velho site para testar boas práticas de SEO, e escolhi ao acaso cinco entre as mais de seis mil publicações disponíveis na plataforma. Para facilitar, decidi testar se o Google reconheceria um script alterando a canonical implementando via Google Tag Manager, já que não queria mexer no código do tema.

O teste seria simples: apontar as cinco URLs para minha página de autor. Abaixo temos as cinco URLs que utilizamos no teste, e um print mostrando que elas estavam indexadas corretamente no Google no momento do início do texto.

Print da Serp do Google monstrando que a URL estrava indexada.

Como as regras implementadas no Google Tag Manager, fui testar como o Google reconheceria essa informação utilizando o Google Search Console e o resultado foi promissor:

Print do Google Search Console mostrando que o Google reconheceu a canonical.

Aparentemente o Google havia entendido a troca e não haveria problemas para que a página saísse do índice do mecanismo. Como São Tomé, só acredito vendo, então fiz o envio das URLs para o Google e aguardei alguns dias para entender como essas páginas iriam se comportar na busca.

Resultado:

Depois de apenas cinco dias o Google desindexou duas das cinco URLs de teste. Esse é um indicativo que de alguma forma aquela informação foi um sinal para ele, mas ainda queria uma comprovação social.

Print mostrando que a URL Legends of Tomorrow foi removida da busca.

Print mostrando que a URL da imagem da Nebulosa Carina foi removida da busca.

Enquanto aguardava mais alguns dias, decidi fazer uma pergunta para a pessoa que com certeza saberia responder essa questão: John Muller.

Fiz uma questão um pouco mais complexa, já que não vale gastar uma pergunta com o que já sabia. Na minha pergunta trouxe um caso hipotético onde existisse uma canonical em HTML que apontasse para uma URL com redirecionamento 301 e outra sendo indicada via JS.

A resposta do John foi a tradicional resposta do SEO “Maybe”. Segundo sua explicação, o Google utiliza a URL que indicamos como canônica e muito mais como sinais para escolher a URL correta, mas se você nos der sinais conflitantes o Google vai decidir por conta própria qual é a correta.

Basicamente, indicar a canonical tag via JS é apenas mais um sinal ao Google sobre qual é a URL correta de um site, mas não há porque se preocupar, de algum jeito ele vai escolher a URL mais adequada sem prejudicar seu ranqueamento.

Acredito que essa resposta foi o que precisa para encerrar esse teste de SEO, afinal consegui validar que a canonical tag com JS é interpretada corretamente como um sinal de canonização, consegui desindexar duas das cinco páginas em menos de uma semana e ainda obtive uma resposta positiva de uma das maiores autoridades sobre SEO do mercado.

Espero que você tenha gostado e que esse conteúdo possa ser útil no seu dia a dia. Se você quer ver algum tema específico sobre SEO, basta deixar um comentário e ele pode se tornar a próxima pauta dos nossos testes!

E para seguir bem-informado sobre tecnologia e como se desenvolver na sua carreira, continue acompanhando o blog da Techdegree.